12 de out de 2011

Pra que servem nossos diplomas?

Mãe, pai, filhos e parentes
Dia dia à trabalhar
Toneladas de cana pra cortar
E pouco à receber.

Muito?
O lucro que o trabalhador gera
A mais valia assassina
Que mata bêbados e solitários no meio do caminho.

Enquanto nós,
Entre mesas, cadeiras e materiais de escritório
Ficamos acomodados dentro das universidades
Fazendo nossas cabeças com "idealizações" de um mundo melhor
Impedidos de enxergar a vida lá fora
Por um tapa olhos chamado "Academia e diploma".

Isso é tão certo
Quanto a morte de milhares de pessoas a cada dia
Por falta de assistência e condições de sobrevivência,
Tão exato
Quanto os números nas contas bancarias daqueles que nos exploram,
Tão humilhante
Quanto a contradição que vivemos nesse mundo.

2 comentários:

Tamires disse...

:)

António Jesus Batalha disse...

É querida, é isso mesmo, e vai continuar a ser, enquanto ouver ricos e pobres, a exploração vai continuar.
Gostei de seu poema, eu também escrevo alguma coisita mas não me considero poeta.
Dou-lhe os parabéns, quero deixar um apelo continue assim dando sempre o melhor, boas mensagens, bons temas. Gosto de escrever, mas também gosto de ler bons temas, por isso é que parei aqui.
Meu nome é: António Batalha.
Sou um servo de Deus,e deixo aqui a minha bênção,que haja paz,amor na sua vida, muita saúde e felicidade.
PS. Se desejar seguir o meu humilde blog, Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir, se encontrar seu blog.