21 de dez de 2009

Pretinho

Pés descalços
andando na senzala
por noites frias, escuras e empoeiradas
mãe, menino, pai, irmãos.
Pela manhã
bem cedinho
pegar na inchada
dando votos aos senhores
e uma liberdade que ficou sabe-se lá onde,
só a vontade no coração
de encontrar um horizonte prometido
pela fé e pela coragem.

4 de dez de 2009

À um amigo

Meu bom,
meu caro,
meu amigo,
me ensina
me entende
me aconselha
meu "professor"
mora em meu coração,
não sai da minha vida
faz festas aos sete ventos
ler Machado e assiste Machadão
escreve peças para o versiprosa
contos a até Crônicas para o Como Assim?!
Mora tão longe e vive tão pertinho do meu coração.
Quero dizer que pra todo sempre, sempre amarei de forma inesplicável.