12 de out de 2011

Pra que servem nossos diplomas?

Mãe, pai, filhos e parentes
Dia dia à trabalhar
Toneladas de cana pra cortar
E pouco à receber.

Muito?
O lucro que o trabalhador gera
A mais valia assassina
Que mata bêbados e solitários no meio do caminho.

Enquanto nós,
Entre mesas, cadeiras e materiais de escritório
Ficamos acomodados dentro das universidades
Fazendo nossas cabeças com "idealizações" de um mundo melhor
Impedidos de enxergar a vida lá fora
Por um tapa olhos chamado "Academia e diploma".

Isso é tão certo
Quanto a morte de milhares de pessoas a cada dia
Por falta de assistência e condições de sobrevivência,
Tão exato
Quanto os números nas contas bancarias daqueles que nos exploram,
Tão humilhante
Quanto a contradição que vivemos nesse mundo.

2 de ago de 2011

Revivendo

Foi um pequeno
Inesperado e encantador olhar
Que me trouxe até você.

Seus olhos
Se estenderam sob um amor guardado.

Ganhei o risco
De me apaixonar por outro alguém,
Você.

Sua casa, amor e cama
Me deram vontade de viver
Nas terras do poeta.

Tive que voltar
E te guardar no álbum de fotografias
Onde guardo pessoas
Que costumam me dar vontade de amar.

14 de jul de 2011

Um mundo e nossas vontades

Eu não sei o que (te) dizer,
Então fico aqui, vivendo longe de seus erros.
Tenho medo do que pode ser se no escuro da noite a gente se esbarre por azar
(ou talvez sorte)...
Ai acho que prefiro sem palavras continuar,
Elas não te fazem enxergar a realidade,
Você sempre preferiu viver no fantastico mundo da imaginação...
Isso é que nos diferencia.

9 de jul de 2011

Se...

Se...
Se...
Se...

Se fosse assim?
Se não fosse?
Se tudo brilhasse dieferente?
Se nossas luzes fossem as estrelas?
Se nosso calor fosse o do sol?
Se o menino que joga bola na rua não precisasse pedir esmolas?
Se a mãe não precisasse se prostituir pra comprar o leite das crianças?
Se as promessas fossem verdadeiras?
Se os pais tivessem mais tempo para o lar?
Se nossas brigas fossem porque eu queria ir na praia e você na pscina?
Se os sorrisos fossem de liberdade?
Ah!! Assim não estaríamos falando desse mundo
Do miserável sistema que determina nossos caminhos
Ou melhor
Que massacra nossas vidas
Acaba com nossos sonhos, famílias e amores.

Um amor, amores e amor

Entre sonho e realidade
Façamos de nossas palavras um ciclo de verdades
Que nunca foram jogadas aos ouvidos
Ou sussurradas ao vento.

Meu coração é aberto
Eu só quero amar, amar e amar
E nele só cabe o amor.

De tanto amor e amores
Eu não paro por aqui
Tomo o amor ao mundo como horizonte
E vou me guiando diante tanto mundo
Tantas pessoas,
Belezas,
Tantas diferenças.

Diferenças?
Que não são simples diferenças pra esse sistema.

Cor
Afetividades
Crenças
Diferenças entre você e eu
Que marcam a estrada
De uma vida dura e de batalhas.

Mas eu sou firme e forte
"Da luta não me retiro"
Pois maior é minha vontade
De felicidade
De igualdade
Do nosso beijo molhado
Na hora que sentirmos vontade
Seja na rua,
Em casa
Na sua ou na minha
Na cidade.

É o amor
Algo maior que me faz permanecer aqui.

Quando caio na real
Com a conexão entre olhos e coração
Meu pensamento entra em erupção
Por um vulcão chamado "Desigualdades"
Vendo que essas diferenças
Não são simples diferenças
Ou escolhas mal tomadas,
Mas reais diferenças
Que maltratam e destroem o que há de melhor
Em mim
Em você
Na humanidade
No amor que todos deveriam sentir
Mas que suas condições objetivas não lhes dá tempo.

26 de jun de 2011

O reggae é o nosso som






O reggae não pode ultrapassar, nem ir para outro lugar
Ele tem que ficar nesse lugar
Nas favelas, nos morros, nos ouvidos do verdadeiro povo.
Ele é a representatividade dos pobres, miseráveis e esquecidos
Ele é a voz do povo
Esse povo tão humilhado e massacrado por esse sistema.



.

25 de jun de 2011

Um bocado de amor

Ia de carro, trem ou avião
Pra encontrar o meu amor eu ia até de busão.
À ele entreguei meu coração
Agora não tem mais como pegar
Ele mora longe.

Eu só queria um beijinho
Acompanhado de carinho
Pra ver meu bem, juntinho
E um abraço acochadinho
Como um coraçãozinho só.






(Pra você)

22 de jun de 2011

O meu coração vou deixar viver

É inevitável
Se te vejo, meus olhos brilham
Se não, meus olhos choram
Choram de saudade do seu aconchego
Do seu sorriso sincero
E do seu jeito menino
Desajeitado de ser.

As nuvens que passam por nossas cabeças
Nos indicam o caminho
Eu moro aqui
Você no norte
Eu penso na distancia
Você no futuro.

Ando por essa vida
Carros, casas, pessoas, amores
Ou melhor, momentos.
Amores não!
Amores mal amados
O amor não se resume apenas nesse agora
Ele é conquista
Passa por todos os obstáculos
E vem a ser amor eternamente.

13 de jun de 2011

Da luta à resistência

Coletivamente
Sou raça negra
Sou da cor humana.
Juntos
Somos o som e a força dos Caetés
Misturando capoeira e toré
Temos a resistência
Desses tão humilhados
E tão esquecidos
Marcados pela força do sistema
Que alimenta a crueldade dos coronéis
À ponto de um ser humano ser um objeto.
Somos raça, coragem e resistência
A luta não pára aqui,
Eu vou correr
Vou salvar o irmão da senzala
Vou tirá-lo das mãos dos senhores de engenho
E acabar com esse mito
Que índio é preguiçoso
Que negro é ladrão
E juntos não são gente.
Com batuque e minha voz
Eu vou incomodar
Eles vão ter que me ouvir
Que aqui
Só tem um povo querendo ser feliz
Afro, Caeté, brancos e mestiços.

Prisioneiros

Centenas de asfalto me mostram o quanto é difícil.
Sou pessoa
Carne, osso e coração
Sou pessoa.
Meus sonhos tornam-se impossíveis
Diante essa comédia trágica
Chamada "Sistema Capitalista"
Onde corrói todos os meus desejos
Destrói todos os meus planos.
Entre você e eu
Tudo fica colorido
Incandesce
Até eu não conseguir mais enxergar.
Nosso amor sumiu no meio do mapa
Do tempo e das terras
Que estão entre nós
E empatam minha voz.
Vou pra casa,
Tentar sorrir com o pouco que ganho por mês
Tomar umas cervejas
Fumar uns cigarros
Porque ir até você
Meu salário não paga.

30 de mai de 2011

Brincando de amar

Se teus olhos me fossem sinceros
Se tuas cores se virassem para meu arco íris
Se teus caminhos fossem minhas calçadas
O nosso amor poderia ser em vão.

Gosto desse jeitinho dando tudo errado
Um emoção no peito de uma simples moça
Moça da cidade bela
Praias, noites, festas e amores
Moça do bairro do lado
Que sorri pelos sete cantos do mundo.

Essa mulher,
Uma menina de sorriso feliz
Emoções naturais
E amor no coração.
À revolucionar todos os padrões
Quebrando seus medos
E vencendo seu tradicionalismo
De moço comum.

Um olhar no rosto
Ele e ela,
Se beijam,
Se abraçam,
Se amam,
E suas vidas vão viver.

26 de mai de 2011

Dos meus sonhos não posso cuidar, o sistema não me deixará





Não posso sonhar

Meus sonhos não posso realizar

O sistema não me deixará.

As luzes da cidade até me fazem pensar

Mas o asfalto em que piso me faz cair na real

Somos tão mercadorias

Que os sonhos pouco importam.

Só consigo correr, correr e correr

Tenho que trabalhar

Meu filho chora de fome

Diante a fome

Quanto tempo tenho pra sonhar?

Nenhum, meu caro amigo.

O sistema é duro

Engole meus sonhos

Pinta minha vida de preto e branco

Estou numa "Selva de concreto"

Sou mais um que não pode sonhar
Sou mais um que só posso executar tarefas

E deixar ser engolido pelo preço que é nos dado.






14 de mai de 2011

DO TAMANHO DO CÉU

A luz do dia irradia

Eu não posso daqui te encontrar

Você mora distante

Um barco, um carro, trem ou avião

Não conseguem carregar o que levo na bagagem

Aqui tem peso

Vem de longos tempos

Vem desde que conheci à mim mesma

É o meu e o seu amo que trago embrulhado em meu peito.

7 de mai de 2011

Seus versos e minhas emoções

Me apaixonarei
Pelos teus versos
Que por muitas linhas
falam do amor, da prosa e poesia que é a vida dos humanos.
Simples humanos
Que por fração de tempo
Conseguem parar pra falar
Ou ao menos pra desenhar
Sua história pra humanidade
Com intuito de informação
Ou apenas de ser mais um amante
Do vasto mundo que nos carrega em suas asas.



[Dedicada à uma pessoa que gosto de seus escritos.]

2 de mai de 2011

Mãos armadas, amor no coração

Não preciso que me carregue
Só quero que se entregue
Com amor e dedicação.
Eu sou sua parte infinita
E a força mais bonita
Que alguém pode querer
Eu sou a força pra lutar.
Há perdas?
Claro!
É um fato
É inevitável,
Mas ganhos inesquecíveis
Mudanças e evoluções
Naturais e pessoais
Nas coisas, na cores, nas palavras, no eu, no você, no geral.
Suas e minhas
passarão a ser nossas,
A partícula
Passará a ser o todo
E o todo
Será pra todos.
Sou eu
Sua arma
Sou eu
A revolução.






Escritos para o dia do trabalhador.

15 de abr de 2011

Corre, corre...


Ela sentiu o arder em seu rosto
Eram lágrimas que descia sem parar
A dor era forte
A cura improvável.
Ela já estava marcada por um mar de derrotas
Viveu sempre na amargura
A luta do dia dia a contemplou com a imagem do filho morto
Bandido, bandido, pega bandido
Todos gritavam
Era seu filho
Que corria pelas ruas da av. Paulista
Por roubar a bolsa da senhora que passava.
Foi triste
A senhora ficou nervosa
Enquanto o menino corria
Só uma bala que derrubou o moleque
Pega ladrão, pega ladrão.
O menino caiu e ali ficou
Pegaram a bolsa
Devoveram a senhora
E mais um se foi pelo erro feito.
Em sua casa, enquanto sua mãe chorava
Não tinha água nem comida
Era fome o retrato daquele lar
Esquecido por um sistema
Que só o fez maltratar
O menino morreu
E já se foi mais um.
Do jeito que o moleque morreu
Muitos morrem a cada momento
Na luta pela sobrevivência.
É muito fácil falar quando se tem um prato de comida na mesa
Mas quando a necessidade grita
Você acaba "correndo bicho".

14 de abr de 2011

Escrituras do povo da América

Escrevendo eu vivo
Todos e todas as canções da América
Posso saber o mais baixo som do tango
Como a mais alta "Redemption Song".

Posso ver a luz do caminho que passa pela minha janela
E o amor nos olhos de uma criança que sorrir.

Escrevendo eu posso ir além
Bem mais que o horizonte
Posso chegar em lugares jamais vistos por olhos humanos
E sentir o coração do povo
Do povo da América.

13 de abr de 2011

Colorindo o nosso amor

Cores, flores e amores
Três coisas que eu nunca esquecerei
Cores sempre vivas se suas blusas e seus lábios
O perfume de suas flores que ficaram em minha pele
E os amores
Que ao longo do tempo
Todo por você eu senti.

6 de abr de 2011

Duas pessoas, um amor e um ideal




Você me olhou

Meu coração sorriu

Fomos juntos Até o além...

Nosso ponto de partida era a luta

Ela, construímos no dia dia

Teoria, prática e experiências

Adquirimos sabedoria com as vivências

Nas ruas, nas praças, na luta

Nossa bandeira vermelha

Nossos lençóis de amor

A vida nos ensina a cada momento

Chegamos

Conversamos

Trocamos experiências

Deitamos

Amamos

E dormimos.

26 de mar de 2011

O claro dos seus olhos que iluminou a passagem

A lua branca lá fora
Nos mostra o quanto é forte esta canção
Não é apenas uma canção de amor
Mas o som da emoção que eu sinto
Ao ver esses claros olhos que passam
E por muito me encantaram.

Permita-se!

Permita-se
Deixe que a luz transpareça seu ser
E que seu lar
Seja banhado de boas e puras energias.
Seja feliz
Na graça do amor...
Amor ao irmão, à natureza, à beleza da vida.
Transpareça
Permita-se sentir a poisitividade.

Transparência de luzes




Poderia falar aqui

De qualquer elemento

Do sol, do ar, da lua, das estrelas, das águas.

Mas não,

Nada chega ao tamanho de tudo que se tornou

Nada é tão imenso

Quanto isso que transparece

E transcede do meu coração

E perpassa por minh'alma.

18 de mar de 2011

Nossa história

Acabei me perdendo
No encanto dos teus olhos
Que me chamou, conquistou, balançou
Que amou
Sim...
Já existem sentimentos no meio dessas causas.

Suas flores
Meu jardim
Uma, duas ou algumas vidas que nos reodeiam.

12 de mar de 2011

Alegria, alegria




O ano começou
A vida recomeçou
Um ciclo
Com pontas e gotas de uma novidade
Renovação
Tudo começou diferentemente
Em relação ao que já vivemos no passado
Os amores já estavam no peito
Mas era um novo amor
Um amor diferente
Um amor próprio
Que me fez feliz
Que me fez sorrir
Que me fez amar.
Vou caminhando pelo sentido da luz
Em busca de paz e harmonia
Deixando de lado todo aquele forçado sentimento
Que me fez por muitos, chorar e sofrer.
Alegria, alegria
Tu és meu nome
Meus versos contém tua essencia
Com lógicas e numerações
De quanto o meu coração aguenta amar
O número vai até o infinito
E com isso vou vivendo por essa trilha do bem.

23 de fev de 2011

Meu caminho é a luz




Ganhamos o mundo
Com a certeza de que ele é nosso
Mas no decorrer do tempo
No decorrer da vida
Percebemos que eles querem nos tirar
Eles querem nos privar
E nos fazer acreditar que tudo é sorte
Mas Jah nos guia
E nos mostra o caminho
Somos seus filhos
Seres divinos
E puros, como o amor.


Quando observamos
Da varanda de nossa casa
E vemos o sol, as nuvens, as árvores, as pessoas, tudo
Percebemos que tudo foi criado propositalmente
Que tudo na natureza se encaixa
Só nos falta sabedoria
Pra viver em comunhão com tudo que é nosso
Com tudo que Deus nos deu
Vamos!
Viver a paz!
Viver o amor!

21 de fev de 2011

Meu viver, meu querer.

Tenho uma vida comum
Como a de qualquer outro ser vivo
Que pelas ruas passa todos os dias
casa, trabalho e faculdade
casa, trabalho e faculdade
casa trabalho e faculdade.
Bem mais comum do que se pensa.
Isso me deixa um tanto nervosa
Penso na linha do trem que não passo
Penso no além que poderia viver
Penso em você e suas loucuras
que me deixam numa tortura
De poder viver assim.
Sim,
suas loucuras são a chave pra meus instintos
Me dão coragem de ir no além
de buscar algo novo
se sentir a sensação de que o mundo é meu e é nosso.
É assim que eu quero viver
Nessa adrenalina
Nesse nem sei o que
Nessa paixão em viver cada segundo como se fosse o único.

11 de fev de 2011

Pensando em te escrever





Falei,
Querendo dizer aqueles versos

Que pra você eu preparei
Vom vontade de mostrar
Tudo que queria e sentia por você.
Você suspendeu minha cabeça
E meus pensamentos voaram.

7 de fev de 2011

Meus instintos e você no meu caminho

Me liga

Me diz como vai sua vida

Preciso saber de seus planos,

Da sua existência,

Do seu bem estar.

Ando me sentindo confusa

Não sei se devo pensar em você

Ou se devo pensar no além.

Você não me deixa dicas

É indecifrável

É confuso.

Um tanto de loucura alimenta sua alma

Você vive perigosamente

Isso é o que da adrenalina aos meus instintos mais sacanas

Que me faz ficar alucinada

Com vontade da sua lucidez

Que no principio era disfarçada

Hoje compreendo que ela é nula.

19 de jan de 2011

Aqui, agora

Quando estou aqui
Sou amor
Sou fervor
Sou descanso
Da uma vontade de ficar
E viver pra sempre nesse canto.

14 de jan de 2011

A menina dança ♪




Eu quis

Dançar, dançar, dançar

O caminho foi longo

Cansei um pouco

Descansei um tanto

Levantei

E dancei, dancei, dancei.

13 de jan de 2011

O AMOR DA VIDA

Abre a janela
Vem comigo
Vamos ver o dia que nos espera lá fora
Vamos caminhar pelos verdes
Tomar banho nas águas desse rio
Ficar numa boa
Sem se preocupar com esse mundo
Cheio de tristezas, destruições e problemas.
Somos seres finitos
E seres divinos.
Vamos viver o que podemos
O mais rápido possível
Aproveitar a vida
Viver equilibradamente
Com paz e amor no coração.
Somos filhos do criador
Podemos viver tudo aquilo que ele nos deixou
Somos seus escolhidos
Façamos o bem
Vivemos no amor
Façamos a paz
Vivemos a felicidade
Caminhamos e cantamos
Essas flores e cores do nosso jardim
Enfeitando nossa estrada com os frutos do bem
Deixando que tudo perpasse a ligação entre matéria e espírito
Transcendendo a divindade
Mostrando-nos o quanto o amor do pai é grandioso
E que ele nos guia a cada passo.
Somos seus filhos santos.

10 de jan de 2011

Filhos de Jah

Tanto já fazem a guerra
Fazem...
Não sabem nem porque estão ali
Estão longe do pai
Longe de casa
Longe da luz.

Não podemos ser assim
Precisamos da luz divina
Que Jah nos guie
E somente ele
O caminho é longo
Mas precisamos seguir.

Filhos de Jah ah ah
Esse planeta irão mudar
Filhos de Jah ah ah
Só o amor nos salvará.

Tanta gente matando
Tanta gente morrendo
O que lhes falta é o amor
O pai está nos vendo
O amor está dentro de cada um de nós
Somos filhos de Jah.

Filhos de Jah ah ah
Esse planeta irão mudar
Filhos de Jah ah ah
Só o amor nos salvará.

Menino lê lê

Ele é da lada
É da ladeira
Anda pelas ruas
Não tem eira
Nem beira.
Vive cheio de gente
Mas tem uma solidão no olhar
Parece menino pequeno
E carinho eu quero dar.
Finge ser grande e forte
Da luta ele não foge
Guerreiro de grande porte
que tem paz e amor no coração
Um amor escondido
Não se define inverno ou verão
É o menino da lada
É da ladeira.

5 de jan de 2011

Nossos caminhos

Luzes acesas

Enfeitam as ruas.

Seu perfume ainda está lá

Quando por aquele caminho passo

São os seus olhos que eu lembro

A olhar os meus

E me dizer umas coisas

Que só nós conseguíamos entender.

Vou passar pela sua rua

Ainda lembro nome, número e bairro

É um pouco distante

Pego carro, trem ou ônibus

Passo aqueles dias no centro da cidade

Compro uns vinhos

Coloco “Bel” pra tocar

E coisa e tal

Tal coisa.

Você me visita

Eu abro a porta

Nos cumprimentados

E o resto... é só complemento.

31 de dez de 2010

Ritmo do amor

Vamos seguindo

No som e no ritmo do reggae

Com amor e harmonia

Pra conquistar nossa alegria.

Jah nos olha e nos guia

Nos ajuda superar a luta do dia

Nos mostra o caminho do bem

Com ele vamos além

Além dessa maldade que há no mundo

Além dessa miséria em que vivemos

Além dessa matéria

Somos seus filhos santos.

Vamos seguindo

No som e no ritmo do reggae

Com amor e harmonia

Pra conquistar nossa alegria

Eu, você, nossos filhos e o mundo

Seguindo a trilha do amor

Fazendo o bem sem olhar a quem

Como já dizia o mestre

Vamos sim

Lutar por um mundo melhor

Longe desse sistema

Alimentados pelo amor de Jah

Vestidos com a arma do bem

Plantando e regando o amor.

Vamos seguindo

No som e no ritmo do reggae

Com amor e harmonia

Pra conquistar nossa alegria.

27 de dez de 2010

Censurando palavras





Muitos tiveram suas palavras vetadas pelos que se diziam os superiores do país.

Que nós sejamos dignos de nossas lutas

E façamos ela com coragem

Pensando no amanhã,

No futuro do nosso mundo.

Sejamos nós

Fiéis a luta pela libertação do homem

Libertando-os desse sistema que corroi a mente humana

E tritura seus ossos

Até levar-nos a morte

Como se fossemos qualquer coisa por ai.

22 de dez de 2010

CAMINHOS PERCORRIDOS

Equilíbrio

Força

Luz

Energia

A paz interior

Que buscamos

Vivemos pra encontrar

Mas o que não sabe o homem

É que ela está dentro de nós.

Somos o semblante da perfeição divina

Caracterizados por nossos gestos purificados

Mas o homem ainda se deixa levar

Pelas maldades

Pela aparência

Pela cor

Pela desunião causada por esses males

E por tantos outras definições

Que torna o homem muitas vezes insensível

Nos levando a caminhos obscuros

Cheios de incertezas.

Que Jah nos ilumine

Nosso único o mestre e guia

Nos caminhos da paz e do amor.

Por esses montes conhecemos tanta gente

Dominada por esse sistema

Que carrega o terror e a ambição

Calejando as mãos de tantos

E protegendo o sorriso de poucos

Esse capital que destrói a face da bondade

Esconde o amor que há dentro de você.

Não se deixe levar pelo poder de mal

Seja mais luz

Mais amor e harmonia

Conquiste seu brilho com o bem no nosso dia.