13 de jun de 2011

Prisioneiros

Centenas de asfalto me mostram o quanto é difícil.
Sou pessoa
Carne, osso e coração
Sou pessoa.
Meus sonhos tornam-se impossíveis
Diante essa comédia trágica
Chamada "Sistema Capitalista"
Onde corrói todos os meus desejos
Destrói todos os meus planos.
Entre você e eu
Tudo fica colorido
Incandesce
Até eu não conseguir mais enxergar.
Nosso amor sumiu no meio do mapa
Do tempo e das terras
Que estão entre nós
E empatam minha voz.
Vou pra casa,
Tentar sorrir com o pouco que ganho por mês
Tomar umas cervejas
Fumar uns cigarros
Porque ir até você
Meu salário não paga.

Nenhum comentário: