30 de mai de 2011

Brincando de amar

Se teus olhos me fossem sinceros
Se tuas cores se virassem para meu arco íris
Se teus caminhos fossem minhas calçadas
O nosso amor poderia ser em vão.

Gosto desse jeitinho dando tudo errado
Um emoção no peito de uma simples moça
Moça da cidade bela
Praias, noites, festas e amores
Moça do bairro do lado
Que sorri pelos sete cantos do mundo.

Essa mulher,
Uma menina de sorriso feliz
Emoções naturais
E amor no coração.
À revolucionar todos os padrões
Quebrando seus medos
E vencendo seu tradicionalismo
De moço comum.

Um olhar no rosto
Ele e ela,
Se beijam,
Se abraçam,
Se amam,
E suas vidas vão viver.

26 de mai de 2011

Dos meus sonhos não posso cuidar, o sistema não me deixará





Não posso sonhar

Meus sonhos não posso realizar

O sistema não me deixará.

As luzes da cidade até me fazem pensar

Mas o asfalto em que piso me faz cair na real

Somos tão mercadorias

Que os sonhos pouco importam.

Só consigo correr, correr e correr

Tenho que trabalhar

Meu filho chora de fome

Diante a fome

Quanto tempo tenho pra sonhar?

Nenhum, meu caro amigo.

O sistema é duro

Engole meus sonhos

Pinta minha vida de preto e branco

Estou numa "Selva de concreto"

Sou mais um que não pode sonhar
Sou mais um que só posso executar tarefas

E deixar ser engolido pelo preço que é nos dado.






14 de mai de 2011

DO TAMANHO DO CÉU

A luz do dia irradia

Eu não posso daqui te encontrar

Você mora distante

Um barco, um carro, trem ou avião

Não conseguem carregar o que levo na bagagem

Aqui tem peso

Vem de longos tempos

Vem desde que conheci à mim mesma

É o meu e o seu amo que trago embrulhado em meu peito.

7 de mai de 2011

Seus versos e minhas emoções

Me apaixonarei
Pelos teus versos
Que por muitas linhas
falam do amor, da prosa e poesia que é a vida dos humanos.
Simples humanos
Que por fração de tempo
Conseguem parar pra falar
Ou ao menos pra desenhar
Sua história pra humanidade
Com intuito de informação
Ou apenas de ser mais um amante
Do vasto mundo que nos carrega em suas asas.



[Dedicada à uma pessoa que gosto de seus escritos.]

2 de mai de 2011

Mãos armadas, amor no coração

Não preciso que me carregue
Só quero que se entregue
Com amor e dedicação.
Eu sou sua parte infinita
E a força mais bonita
Que alguém pode querer
Eu sou a força pra lutar.
Há perdas?
Claro!
É um fato
É inevitável,
Mas ganhos inesquecíveis
Mudanças e evoluções
Naturais e pessoais
Nas coisas, na cores, nas palavras, no eu, no você, no geral.
Suas e minhas
passarão a ser nossas,
A partícula
Passará a ser o todo
E o todo
Será pra todos.
Sou eu
Sua arma
Sou eu
A revolução.






Escritos para o dia do trabalhador.