26 de mai de 2011

Dos meus sonhos não posso cuidar, o sistema não me deixará





Não posso sonhar

Meus sonhos não posso realizar

O sistema não me deixará.

As luzes da cidade até me fazem pensar

Mas o asfalto em que piso me faz cair na real

Somos tão mercadorias

Que os sonhos pouco importam.

Só consigo correr, correr e correr

Tenho que trabalhar

Meu filho chora de fome

Diante a fome

Quanto tempo tenho pra sonhar?

Nenhum, meu caro amigo.

O sistema é duro

Engole meus sonhos

Pinta minha vida de preto e branco

Estou numa "Selva de concreto"

Sou mais um que não pode sonhar
Sou mais um que só posso executar tarefas

E deixar ser engolido pelo preço que é nos dado.






Nenhum comentário: