25 de mai de 2010

Canção

Guardo os discos de vinil
Desligo a radiola
Desejo uma música
Quero você cantando no meu ouvido
Bem pertinho
Sussurrando a nossa canção
Ela me faz estremecer
Sinto uma emoção
Que só eu consigo entender.
O som flui
Nossos desejos se encontram
no luar do gunga
o banho de mar
Eu e você
e a luz das estrelas
O mundo é nosso
Lá dentro toca aquela
Que termina nossa noite
Com chave de ouro.

24 de mai de 2010

Liberdade

Diante das situações
Somos seres iguais e diferentes ao mesmo tempo.
Não é nada certo
Do destino nada sabemos
Não temos bola de cristal,
mas os momentos nos mostram
no que vai dar
O que vai ser certo
E o que vai ser errado
Eu não quero acreditar
Que vou ter que olhar a rua como um todo
Ver as pessoas passarem
E ainda assim sentir-me no deserto
Tanta gente maluca
Sem o menor conceito do que é viver
Sem a menor disponibilidade de fazer o bem ao próximo.
Não
Eu não quero viver assim
Quero um mundo que eu possa se feliz, gritar a liberdade e te amar espontaneamente.

21 de mai de 2010

Entradas e Saídas

Fumo um cigarro
Bebo umas cervejas
tento esquecer você,
É tudo tão ruim pra mim
Você me faz mal
Me faz sofrer
Só porque não posso te ter ao meu lado,
Não posso te abraçar,
Te beijar.
Tenho raiva porque quero você
Te fazer sorrir
Andar de mãos dadas numa praia deserta
Te olhar nos olhos
E dizer: TE AMO.

20 de mai de 2010

Quando falo de você não sei
Não sei de onde vem tanta inspiração
De onde vem tantos sentimentos
São coisas que nem eu sei explicar.
A vida nos relata fatos
de que somos seres imagináveis e inatigíveis
Ao ponto de nos amarmos.
Amar?
Amar feito as nuvens abraçando o céu
amar igual duas crianças que correm nas ruas espontaneamente
amar como dois corpos nus que se encontram no meio da luz.
Mas o que seria amar
Se não fosse isso que temos em nossos rostos?
Se não fosse a minha voz pra te dizer bom dia?
Se não fosse a sua imagem pra saciar minha sede?
Quem seria eu
Se não amasse como a lua e sol
Como a mãe e seu filhote
Como a natureza as pessoas ?
Quem seria eu?
Apenas um pobre ser vivente
Sem luz
Sem graça
Sem cor.
Mas é por você
Que isso posso conhecer
Saber amar
Saber a razão de estar vivo.

17 de mai de 2010

As vezes,
por pouco, por muito
tenho dúvidas sobre o que eu acredito.
Dúvidas sobre tudo,
sobre a cor do céu,
sobre o néon,
sobre a passagem,
sobre o amor,
sobre você.
Isso me da medo
Fico angustiada
Com vontade de voltar
Mas voltar pra onde?
Se eu já fui de corpo e alma.

14 de mai de 2010

Desejos

Viver ao teu lado apenas
Não basta
Eu quero mais
Eu quero ser mais
Eu quero poder mais
Quero grudar em tua pele
feito tatuagem
E como dizia Buarque:
"Dançar no teu corpo feito bailarina" ♪♪
Quero eu
Dominar o seu eu
Ser o seu ego
Possuir o seu domínio.
Quero estar presente em tudo
Que se possa ver o não
Ser a mulher que imaginas
E em momentos íntimos
Ser a "Deusa da tua cama"
Aquela que te faz sorrir de prazer.
Quero eu
Ser o pão que te alimenta
A corda que amarra teus sentimentos
O sabor da tua vida.
Sem você
Nada disso faz sentido
O calor do sol,
A beleza da lua
Nem o brilho das estrelas
Nada faz.
Quero ser feliz
Como meu eu em tua felicidade.

12 de mai de 2010

Meus, Seus, Nossos sentimentos

Sempre fui sozinha

Querendo um pouco de atenção

de amor

de paixão

do fervor de uma emoção

Quando tudo começou

As atenções foram chegando aos poucos

Como se fosse a descoberta de novos horizontes.

Claramente eram coisas que jamais se concretizariam

Hoje passa do desejo maior

Quero sorrir, correr e te abraçar

Aquele beijo te dar

Te fazer feliz

Como se estivéssemos no paraíso.

Você chegou

Entrou sem pedir licença

Foi mal educado

Ao ponto de invadir meu coração

Fazendo-o sentir-se importante

Ao ponto de acreditar no amor.

1 de mai de 2010

Sonhando

Não sei bem o que se passa
São coisas que a vida nos faz sentir
Do nada
Chega o momento e Puff,
já estamos lá
"Estatalados"
Por um sentimento que nem sabemos
Nem sabemos de onde vem.
É algo leve
E ao mesmo pesado
É chuvisco, é trovão
É noite, é dia
Não sei mesmo.
Ainda por cima
Tenho medo
Medo do sentir,
Sentir sozinha
Com uma distância absoluta de corpos
Medo de não pode desfrutar.
Mas será que posso falar em sentimento?
Acho que sim,
Mas nada concreto,
nada que faça grandes desastres
Ou não.
Mas vou levando
Vejo a vida numa boa
Quando "fico" com você me sinto feliz
Como se estivesse encontrado
o molho do meu macarrão
o chocolate do meu leite
o gás da minha coca cola
Meu equilíbrio
Meu desejo inevitável.
Vamos vivendo o que podemos
Quem sabe o destino não nos ajuda?