19 de jan de 2011

Aqui, agora

Quando estou aqui
Sou amor
Sou fervor
Sou descanso
Da uma vontade de ficar
E viver pra sempre nesse canto.

14 de jan de 2011

A menina dança ♪




Eu quis

Dançar, dançar, dançar

O caminho foi longo

Cansei um pouco

Descansei um tanto

Levantei

E dancei, dancei, dancei.

13 de jan de 2011

O AMOR DA VIDA

Abre a janela
Vem comigo
Vamos ver o dia que nos espera lá fora
Vamos caminhar pelos verdes
Tomar banho nas águas desse rio
Ficar numa boa
Sem se preocupar com esse mundo
Cheio de tristezas, destruições e problemas.
Somos seres finitos
E seres divinos.
Vamos viver o que podemos
O mais rápido possível
Aproveitar a vida
Viver equilibradamente
Com paz e amor no coração.
Somos filhos do criador
Podemos viver tudo aquilo que ele nos deixou
Somos seus escolhidos
Façamos o bem
Vivemos no amor
Façamos a paz
Vivemos a felicidade
Caminhamos e cantamos
Essas flores e cores do nosso jardim
Enfeitando nossa estrada com os frutos do bem
Deixando que tudo perpasse a ligação entre matéria e espírito
Transcendendo a divindade
Mostrando-nos o quanto o amor do pai é grandioso
E que ele nos guia a cada passo.
Somos seus filhos santos.

10 de jan de 2011

Filhos de Jah

Tanto já fazem a guerra
Fazem...
Não sabem nem porque estão ali
Estão longe do pai
Longe de casa
Longe da luz.

Não podemos ser assim
Precisamos da luz divina
Que Jah nos guie
E somente ele
O caminho é longo
Mas precisamos seguir.

Filhos de Jah ah ah
Esse planeta irão mudar
Filhos de Jah ah ah
Só o amor nos salvará.

Tanta gente matando
Tanta gente morrendo
O que lhes falta é o amor
O pai está nos vendo
O amor está dentro de cada um de nós
Somos filhos de Jah.

Filhos de Jah ah ah
Esse planeta irão mudar
Filhos de Jah ah ah
Só o amor nos salvará.

Menino lê lê

Ele é da lada
É da ladeira
Anda pelas ruas
Não tem eira
Nem beira.
Vive cheio de gente
Mas tem uma solidão no olhar
Parece menino pequeno
E carinho eu quero dar.
Finge ser grande e forte
Da luta ele não foge
Guerreiro de grande porte
que tem paz e amor no coração
Um amor escondido
Não se define inverno ou verão
É o menino da lada
É da ladeira.

5 de jan de 2011

Nossos caminhos

Luzes acesas

Enfeitam as ruas.

Seu perfume ainda está lá

Quando por aquele caminho passo

São os seus olhos que eu lembro

A olhar os meus

E me dizer umas coisas

Que só nós conseguíamos entender.

Vou passar pela sua rua

Ainda lembro nome, número e bairro

É um pouco distante

Pego carro, trem ou ônibus

Passo aqueles dias no centro da cidade

Compro uns vinhos

Coloco “Bel” pra tocar

E coisa e tal

Tal coisa.

Você me visita

Eu abro a porta

Nos cumprimentados

E o resto... é só complemento.