2 de mai de 2011

Mãos armadas, amor no coração

Não preciso que me carregue
Só quero que se entregue
Com amor e dedicação.
Eu sou sua parte infinita
E a força mais bonita
Que alguém pode querer
Eu sou a força pra lutar.
Há perdas?
Claro!
É um fato
É inevitável,
Mas ganhos inesquecíveis
Mudanças e evoluções
Naturais e pessoais
Nas coisas, na cores, nas palavras, no eu, no você, no geral.
Suas e minhas
passarão a ser nossas,
A partícula
Passará a ser o todo
E o todo
Será pra todos.
Sou eu
Sua arma
Sou eu
A revolução.






Escritos para o dia do trabalhador.

Um comentário:

Rodrigo GS disse...

Sandrinha escrevendo cada vez melhor...