21 de dez de 2009

Pretinho

Pés descalços
andando na senzala
por noites frias, escuras e empoeiradas
mãe, menino, pai, irmãos.
Pela manhã
bem cedinho
pegar na inchada
dando votos aos senhores
e uma liberdade que ficou sabe-se lá onde,
só a vontade no coração
de encontrar um horizonte prometido
pela fé e pela coragem.

Um comentário:

LIBERTAS disse...

Sandrinha, faz tempo que eu não comento nada, né?

Adorei esse. Ficou tão a cara das coisas que eu ecrevo. Acho que vou lhe acusar de plágio!

kkkkkkkkk