10 de out de 2008

Não sei pra onde ir,
Não sei o que fazer,
Sigo sem destino certo
relembro o passado,
relato os erros,
e vibro com os quase insignificantes acertos
Eu só sei que o nada tomou conta do meu "eu"
fazendo da minha vida
uma propriedade tua.

Nenhum comentário: