17 de abr de 2009

A falta que você me faz

Não sei mais...
não sei como procurar-te,
nem como olhar em seus olhos e dizer "Je t'aime".
As ruas se entristecem
se você não passa,
trazendo seu brilho natural,
cantando nosso refrão
e sorrindo a alegria de uma bela noite de luar.

Um comentário:

Ariotho disse...

Não é meu gênero de escrever!
Contudo, como gosto de apreciar o que é novo em meu meio, e tentar entender.
Sandra, suas poesias estão tomando rumos que é de se ficar atento, estão boas. Escreva sempre assim, escrever com a alma, faz bem!