30 de out de 2008

Certamente, poderia dar início citando meus amores, comentando sobre meus medos ou problemas, mas tenho apenas figuras para mostrar-te, que espalham com claridade a atenção da minha vida para com a tua, que levam meu barco ao teus mares, que dão fatos que me ligam em teus pensamentos.
E quem disse que eu preciso de você? Não, eu não preciso. Preciso apenas dos teus carinhos, de tua força, de teus beijos, da segurança que você me proporciona; preciso apenas que você faça com que eu sinta prazer de viver momentos ao teu lado sem te querer, de conseguir ir longe sem sair do lugar, de amar sentindo ódio. "... quero a vida sempre assim, com você perto de mim...", mesmo tendo raiva de olhar em tuas faces e querer me abrigar em teu calor, mesmo sabendo que teu coração é um gelo.
Nem consigo parar de lembrar da nossa... nossa vida, do meu amor e seu desprezo, do meu ódio e da tua procura, você fez meu mundo desandar, fez meu céu ensolarado encher de nuvens, numa manhã onde eu queria apenas ler um livro e te matar de amor, sem ter tempo de ter tempo.

Nenhum comentário: